Gente Plena Desenvolvimento de Pessoas e Equipes

Desenvolvimento Gerencial, Gestão da Mudança, Formação e acompanhamento de equipes de alto resultado, Sentido do trabalho e comportamento organizacional, Programas de Qualidade e Produtividade

mais serviços Conheça nossos serviços

Formação Gerencial, Programas de Liderança, Resolução de Conflitos, Gestão da Mudança Organizacional, Gestão por Competências

mais serviços Conheça nossos serviços

Desenvolvimento Pessoal e Profissional Integrado, Motivação e Sentido do Trabalho, Desenvolvimento de Equipes, Formação Profissional, Coaching, “Cuidar para Reconciliar”

mais serviços Conheça nossos serviços

RH como Atuação Estratégica, RH como Consultor Interno, Revisão dos Processos de RH, Criação/Reestruturação de Área de RH, Avaliação de Desempenho e Resultados, Clima Organizacional

mais serviços Conheça nossos serviços

Seleção de Técnicos e Executivos, Seleção e Desenvolvimento de Trainees, Planos de Carreiras e Sucessões, Identificação e Acompanhamento de Potenciais

mais serviços Conheça nossos serviços
Aplicação do EneagramaDesenvolvimento GerencialDesenvolvimento de Pessoas e EquipesGestão de Recursos HumanosSeleções, Carreiras e Sucessões
Página Principal  Artigos
Receba nossos artigos!
Iniciando o RH

O início da área de gestão de pessoas em um novo empreendimento. Os pontos de maior atenção do empreendedor para estruturar o RH.


Muita gente, ao fazer acontecer seu sonho, constituindo uma empresa, recorda-se e se preocupa com tudo. Diante de bela oportunidade, de um serviço significativo, um produto de grande apelo na sociedade, concretiza-se o negócio. Estrutura-se então a área de operações, seus processos, eis que será fundamental que se tenha disponível o produto ou aquele serviço a ser comercializado.

Trabalha-se a área financeira, pois, sem dúvidas de que a organização terá que ser sustentável, gerar caixa, agregar valores, perseguir e obter resultados, para que possa realmente possa valer a pena. Investe-se nas melhores maneiras de atingir o público, gasta-se bastante tempo com a logística e se define a estratégia a ser perseguida... Mas será que se está realmente vendo tudo?

O que se torna facilmente notado é de que se deixa para depois (e até se esquece) de algo fundamental. Trata-se do óbvio, do simples fato de que quem fará andar a estratégia, cuidará dos processos, realizará o marketing, produzirá, cobrará, entregará, com qualidade, no tempo e no custo requeridos, o produto e, ou, os serviços será gente.

Daí que fica o recado essencial para o empreendedor: Em paralelo com isto tudo acima especificado, eis que são partes constituintes do negócio, cuide também da Área de Gestão de Pessoas. Sem que a tenha minimamente estruturada, pronta para lhe apresentar os melhores profissionais, correrá o risco de patinar e mesmo botar tudo a perder, eis que, pior do que faltar gente, irá acontecer de que sejam alocadas pessoas despreparadas e incompetentes para funções chave organizacionais.

Para estruturar a área de RH, mais do que falar do como opto aqui nesse artigo, por tratar de cinco cuidados básicos a serem tomados pelo empreendedor quando chegar próxima aquela hora do realismo. O tempo de se dar vida ao grande sonho. Ei-los:

1 – Não vá estruturando toda a área e funções de RH. Não será preciso e então, desnecessário será antecipar-se. Cuide para que três processos estejam minimanente preparados para lhe servir. Será nessas três etapas que seus esforços deverão se dar: a) tenha pelo menos uma base de cargos e salários. Como remunerar e o quanto irá pagar às pessoas. b) Crie um alicerce da fase de recrutamento e seleção. Quem você irá buscar, de que perfil, como e onde? c) Construa também uma base de “departamento pessoal”. O essencial de pagar, o registro, os apontamentos legais, tratar dos benefícios... As demais etapas poderão esperar mais um pouco para serem efetivamente trabalhadas. Aqui parto da premissa de que você já tenha definido, junto à estratégia e os processos, o seu dimensionamento de pessoal. Ele já deverá estar pronto nessa primeira hora.

2 – Tenha claros e muito bem definidos os cargos chave do seu negócio. Cargos chave são aqueles que preencherem no mínimo os quatro pontos elencados em seguida: a) Farão acontecer a empresa. Sem eles nada significativo será feito. b) Necessitam bastante competência para serem exercidos. c) Não são simples de serem encontrados. d) Seu erro causará grande dano, custando bastante caro ao empreendimento. Defina logo em seguida os perfis desses seus cargos base. Não saia, em definitivo, procurando pessoas sem ter muito bem especificado quem estará buscando para trabalhar com você. Definir os perfis diz respeito a saber que competências deverao possuir as pessoas a serem buscadas. Com certeza de que nesses cargos pivotais estará o time de líderes. Qual será o perfil de liderança que você irá exigir na empresa? Como as pessoas serão gerenciadas, inspiradas? O que as fará comprometidas e motivadas para que gerem os resultados que serão buscados? Fundamental que estejam claras também as competências técnicas (o que fazer e o como cumprir as tarefas?) e as interpessoais (a relação entre as pessoas dentro da organização).

3 – Saiba onde buscar as pessoas certas para os lugares necessários. Tenha em mente onde elas se encontram, para buscá-las visando a realização, com você, da decolagem do negócio. Olhe o mercado, veja onde estão, se estão disponíveis e qual será a melhor maneira de abordá-las. Claro que você já estará sabendo o quanto irá remunerar, quais benefícios ofertará e quais serão as suas margens para negociar salários. Saiba que todo cargo tem um preço. Ao pagar mais por ele estará inflacionando o mercado. Remunerando menos, poderá acontecer de que estará, ao contrário, se privando das melhores pessoas. Caso já exista aqui o responsável por RH, tome consciência de que terá de estar bem perto dele nessas horas iniciais. No caso de ele ainda não estar na empresa, será você a fazer este papel. Caso seja impossível cuidar deste aspecto tão fundamental, pelo menos para os cargos pivotais (os chave), você irá realizar, pelo menos, a entrevista final. Cuidado com a delegação nesta hora. A empresa é sua. O sonho é seu. Você tem claro o perfil de quem precisa. Minimize o erro.

4 – A questão dos amigos e familiares. Cuidado com eles. Nada melhor do que ter seus parentes e amigos trabalhando em seu empreendimento, mas saiba que tê-los com você carrega alguns cuidados e desafios em seu bojo. Não ceda aos pedidos para dar trabalho a pessoas que estejam abaixo das exigências que você definiu. Saiba que esse tipo de pressão bem provavelmente irá acontecer. Lembre-se de que o fato de serem seus parentes e amigos, não quererá dizer que se tratem, automaticamente, de pessoas que sejam competentes. Melhor ajudá-los de outra maneira, caso não preencham seus requisitos. Agora, quando em igualdade de condições, nada impedirá que os tenha colaborando na organização. O melhor dos mundos será tê-los com você, nos casos em que eles estejam posicionados além dos perfis (que devem ser exigentes) buscados por você. Aliás, sobre os perfis defina sempre trabalhar com gente melhor ainda do que você. Isto fará com que a sua organização seja excelente. Não abra, jamais, mão de que para trabalhar com você será preciso atender aos requisitos das competências do negócio. Duas coisas que nunca poderá desconsiderar: competências e valores.

5 – Reconheça e valorize a sua equipe. Ninguém dá o melhor de si mesmo, caso não esteja sendo verdadeiramente reconhecido e caberá a você reconhecer as pessoas que fazem acontecer sua empresa. Reconhecer é saber que você não terá “mão de obra”, mas trabalhará com gente. Reconhecer é considerar a importância de cada um na concecução dos resultados. Reconhecer é dar e receber feedback. É saber usar os erros como parte do aprendizado. Reconhecer também será desligar, de maneira ética e respeitosa, quando verificar que aquela pessoa escolhida para a sua equipe, nada mais foi do que um lamentável engano. No reconhecimento está embutida a inspiração para que seus empregados se superem, Também aqui fica inserida a necessidade de você tratar dos valores do seu negócio, da missão e visão. Que obra enfim irá construir? Saiba que as pessoas somente se comprometerão caso se sintam inspiradas pela sua visão. Visões frias e técnicas demais não movem ninguém. Você, na seleção, irá falar da sua obra, da sua visão e seus valores para as pessoas que pretenda ter junto.

E boa sorte, aliás, bom trabalho, eis que em relação à gente não costuma funcionar bem esse negócio de boa sorte. Seu sucesso dependerá muito mais do que de sorte, das competências de quem você for ter com você, e da atenção e do seu olhar sobre cada uma delas, no dia a dia do trabalho.


Compartilhe |


Cafezinho para posts anteriores Artigos por categorias

área restrita Gente Plena Desenvolvimento de Pessoas e Equipes © 2017
Criação e Desenvolvimento :: Guttdesign & Cristiana Giustino